Participe do Blog Pensando Alto!

11 de agosto de 2010

Conheça um diário de bordo do século XVI. O que temiam os navegadores da época?

1/02/1526: Hoje acabamos de iniciar nossa viajem. Saímos de Portugal e estamos indo em direção ao Brasil. Mas acabamos de encontrar um imprevisto. Por causa de uma tempestade fomos desviados para a América Central e a nossa nau quebrou. Tivemos que atravessar o continente horizontalmente tentando encontrar um porto para comprar uma nova caravela 3/02/1526: Depois de dois dias sem escrever por causa da difícil travessia, compramos outra caravela nas colônias espanholas, na realidade, trocamos a nossa nau por outra embarcação e partimos pelo oceano Pacífico. 6/04/1526: Estamos no sul do Pacifico, mais uma vez fiquei sem escrever, pois estávamos em área arriscada em função dos piratas, e todo cuidado era pouco. Levamos dois meses e três dias para poder atravessar sem chamar a atenção. “Devagar e sempre”. 7/04/1526: Hoje de manhã tivemos uma grande vitória no sudeste do Pacífico, conseguimos a mandíbula de um mostro gigante que nos atacou! ?/04/1526: Não sei bem que dia é hoje só sei que estamos em baixo do continente americano. No meio da noite ouvimos um lindo canto suave que me fez dormir, mas o mais estranho foi que encontrei corpos de meus navegadores no meio do mar como se eles tivessem ido atrás do canto e pulado da nau. Estou com receio de que o mito das sereias seja verdadeiro, pois perdi parte da minha tripulação. 14/04/1526: Finalmente consegui saber o dia de hoje. Estamos há quatro dias aproximadamente para ancorar no Brasil. Por enquanto tudo que vemos é o horizonte com o sol radiante em meus olhos e a ponta e uma grande montanha do continente americano. Os piores obstáculos já se foram. 16/04/1526: Nesses dois dias estávamos passando por icebergs imensos. Alguns possuem uma espécie de criatura dentro. Não sei o que é. Existem diferentes espécies de animais por aqui, terrestres e aquáticos. 18/04/1526: Chegamos ao Brasil! Uma terra maravilhosa, com muitas riquezas, natureza, belezas e uma população nativa particular e diversa. Hoje é o meu aniversário, faço 36 anos. E ter sobrevivido a essa viajem foi o melhor presente que já tive! Ass: Capitão Renan (Turma 707. CPII/USCII)